facebook rss

VENEZA ACOLHE EXPOSIÇÃO DE NADIR AFONSO

De 30 de Agosto a 10 de Novembro decorre em Veneza, na sede do Istituto Veneto di Scienze Lettere e Arti, no Palazzo Loredan, a exposição “Nadir Afonso. Dell’a estetica surrealista alla cittá cromática”. Esta exposição, por ocasião da Bienal de Arquitetura, insere-se num conjunto de iniciativas da Fundação Nadir Afonso, no sentido de comemorar os 90 anos do Mestre com uma série de exposições de nível internacional. Desta vez, procura-se enquadrar a figura do arquitecto Nadir Afonso, destacando a sua colaboração com duas figuras principais da arquitetura moderna internacional: Le Corbusier e Óscar Niemeyer, com quem Nadir trabalhou entre as décadas de 40 e 50, primeiro em Paris e depois no Rio de Janeiro e São Paulo.

A primeira parte da mostra apresenta obras da fase surrealista, mais ligada aos anos 40 e influenciada por artistas surrealistas, a que se seguiu a fase geométrica, da qual é destacado o período barroco do início dos anos 50, quando Nadir ainda exercia arquitetura. No entanto, o corpo principal da exposição visa destacar o trabalho contemporâneo do artista, no qual este reinterpreta o tema da cidade e a sua visão cromática.

Entre as numerosas obras expostas, o artista apresenta o seu tributo a Veneza em três pinturas de diferentes períodos: Le Grand Canal II (1957), onde a perspectiva da visão é distribuída num jogo de formas que evocam o horizonte de Veneza; Campos de San Zanipolo (1965), que desenvolve o perfil da arquitetura no charme rigoroso das cores azul e preto; Procissão em Veneza (2002), onde a Praça de São Marcos surge, qual aparição, num jogo de vorticismo cromático. É precisamente em obras recentes, como esta, que se revelam a força e a determinação do artista em prosseguir uma investigação pessoal sobre a descoberta e aplicação de uma nova linguagem metafísica.